Manda

terça-feira, maio 19, 2015

DVD DISCOPRAISE • ANÁLISE





No dia 08 de fevereiro de 2014 aconteceu na Igreja Sara Nossa Terra em Ceilândia – DF, a gravação do primeiro DVD da banda Discopraise.

Doze anos de banda depois, Clayton O’Lee, Jota Albuquerque, Cláudio Gomez e Davi Moreno colocaram em prática aquilo que já rondava suas ( eas nossas) caixolas há mais de cinco anos, A gravação aconteceu em um só dia (pra ver o profissionalismo da turma e do producer Ruben di Souza) e cerca de 5 mil pessoas se amontoaram pra ver um grande espetáculo de luz, som, palavra e poder.

Com uma estrutura cinematográfica equiparada a espetáculos internacionais, palco em formato de cruz (mostrando o quanto eles queriam estar perto da galera), o DVD contou com a direção de vídeo de Hugo Pessoa (ex-Gerd), direção de fotografia de Marcos Olívio e a produção musical de Ruben di Souza. No time de Backs vocal, Paloma Possi, Ericka Nascimento e Paulo Zuckini abrilhantaram com suas vozes poderosas.

A banda foi acompanhada por naipe poderoso de metais, dirigido pelo maestro e trombonista Tiquinho, seguido pelos trompetistas Paulinho Viveiro, Azeitona e pelo saxofonista e flautista Luiz Neto.

Todo padrão de cenários, visual gráfico que acompanha os packs dos Dvds e CDs casa muito com todo o visual retrô que o lado disco da banda sempre quer mostrar foi desenvolvido pelo design Christyan Schneider. Juntamente com a edição dinâmica, design de luz e cenografia, só lembra uma igreja mesmo porque em vários momentos do show, o ambiente remete a uma congregação cantando louvores. É possível que pelo menos 8 câmeras estejam capturando todo o ambiente que foi cuidadosamente planejado para que tivesse a mesma identidade tanto nos momentos disco, quanto nos praise. (Falo isso porque em muitos DVDs, há um desbalanceamento das câmeras, e a plástica do vídeo varia muito.)

Começa o show. Imagens da capital federal no telão (gosto de quem valoriza sua cidade), Clayton O´lee passa pelo meio da galera, a banda toca uma intro bem suave. Nem parece que o clima logo vai ficar pra cima. Logo no começo pelo texto inicial a ideia é que eles querem contar não a história deles, mas sim a história que Deus escreveu através da palavra, som e poder.

PELO SANGUE (AZIZ/TRANSFORMOU) – Música que fez a galera dos anos 90 pirar originalmente no som da Banda Azul, e que a Discopraise revisitou no seu primeiro cd quase 15 anos atrás. Mensagem da música ainda atual, arranjo maravilhoso, metaleira a mil, ninguém mais parado. Clayton e os meninos interagem com a galera que vai ao delírio. Logo vem aqueles mantras tão comuns nas igrejas: - Vire pro lado e dê um abraço no seu irmão...começa um novo registro que não ganhou o nome no setlist, mas diz assim: Dance até cansar, não pare de balançar...Nem precisava dizer, porque ninguém tava parado mesmo. Garanto que quem não era frequente em academia sofreu nessa hora. Arranjos muito bem cuidados até o final da música. Nada foi de qualquer jeito. O registro final animou mais o arranjo ainda.

LÁ VOU EU (COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ) – Lá vou não pode ser considerada muito disco, mas como era um hit mais moderno, com pegada mais dance music, entrou logo nessa primeira parte do DVD. Claro que foi uma resposta a tantos fãs (como eu) que achavam que a banda estava mais praise que disco. Clayton continua interagindo o tempo todo com a galera. Esse talvez possa ser considerado um dos poucos pontos negativos do DVD, muitos cacos entre as frases das músicas, como se a galera precisasse de mais ânimo pra interagir. Mas como o DVD é o registro de como a banda é nos shows, ficou assim mesmo. Clayton não deixa ninguém esquecer nada e nem cochilar. Galera aproveita pra organizar os trenzinhos, pulinhos e gritos. Tudo comandado pelo mastro Clayton O´lee. Nessa hora o único que ficou no lugar foi o Cláudio Gomez, que fazia a cama enquanto Clayton, Jota e Davi se divertiam na coreografia.

CARA DE PAU (VAI TUDO MUITO BEM) – Lá vem a influência da discobrasileira. Salve Jorge BenJor. Um dos maiores hits da banda (lembro deles cantando essa do lado do Malafaia). Swing brasileiro levado por eles desde o começo da banda e agora “descobertos” por nomes como Thalles e Eli Soares. Claro que faltou o Rappin Hood que na versão original dá contrbuição com seu rap convertido. Todo mundo ainda em delírio e lembrando dos seus amigos malas. Quem disse que música gospel não pode falar sério através do humor? Backing deu uma nova vida a essas músicas agitadas.

CHEGUE CHEGUE CHEGUE (VAI TUDO MUITO BEM) – Aumenta a interatividade. Dessa vez com a galera no palco pra ensinar a coreografia da música. Clayton conseguiu acertar num espanhol (da Costa Rica??) desengonçado no meio da plateia pra servir de cobaia. Hilário. E é isso que acontece mesmo nos shows da banda. Clayton vira instrutor de academia e ensina como a música deve ser cantada e dançada. Com certeza é a parte que a criançada mais gosta. Até numa música despretensiosa, a banda coloca conteúdo. Alegria solta no ar!

TREME, TREME, TREME (COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ) Outra agitada do cd mais diferente da banda. Nesse dance music neopentecostal, a galera continua no agito sem parar. Os jargões dos novos pentecostais estão em todos intervalos, mas a letra é muito boa e fala da autoridade do filho de Deus sobre o inferno. Continuam referências jorgebenjorianas na música.
Pronto para quem achava que a Disco estava na Uti, deve ter adorado esse começo do DVD.
Muda o clima.
Lá vem as baladas “praise”.
 
FAVOR DE DEUS – Essa é a primeira múscia inédita no Dvd. Não tão inédita assim, pois o Clayton já tinha cantado ela no cd da sua igreja e já era bem conhecida dos candangos. Fotografia mais intimista.

TEU NOME MOVE O IMPOSSÍVEL – (SE EU ME HUMILHAR) Começa o momento mais emocionante da gravação. Clayton conta o milagre que aconteceu na vida da sua família. Luisa, 42 dias de vida, convulsões do nada atingiram o bebê, três derrames cerebrais. Você não pode ver esse DVD sem dar atenção a essa parte. Uma intervenção de Deus que fez nascer essa música. Para quem acha que a banda é só oba-oba, devem parar nessa parte também. A supresa no final do testemunho não vou contar.
Quem viu a plateia do começo também não acredita que são os mesmos. Todos quietos e atentos a todo o contexto que envolveu a história.

MUDA O CLIMA.
A discopraise com o passar do tempo adquiriu mais uma característica forte: sabe fazer rock. Agora vem a sequência dos seus rocks mais conhecidos.

SALVO PELO SEU AMOR (SE EU ME HUMILHAR) – Mais uma vez a galera se agita e a banda mostra sua versatilidade. Sabe fazer hits. Talvez seja o SE EU ME HUMILHAR o cd mais divulgado da banda, então todo mundo sabia as músicas na ponta da língua.  Davi Moreno começa a brincar com os riffs maduros de sua guitarra em solos que deixaram os roqueiros animados.

ALTOS MONTES - (SE EU ME HUMILHAR) Mais rock, mas competência de uma banda que sabe passear muito bem em três estilos diferentes.

Muda o clima de novo.

OUVIR O TEU FALAR (INÉDITA) – Volta a aura de culto. Clayton pega sua bíblia e lê o Salmo 121. A galera se aquieta para cantar junto o hit do Marcos Rodrigues. Ouvir o teu falar foi escolhida para ser o single deste DVD. Já com mais de 1 milhão de views no youtube, mostra uma discopraise querendo adentrar nas igrejas com essa grande canção que pode ser reproduzida em momentos de louvor de qualquer ponto deste país. Linda balada e linda letra. Deus lhe protegerá de todo o perigo!



SE EU ME HUMILHAR (SE EU ME HUMILHAR) – Agora sem o André Valadão, esse quem sabe, o maior hit da banda. Momento de grande contrição da galera. Detalhes lindos no teclado do Claudio Gomez, deixam a linda melodia mais linda ainda.

CURA-ME (SE EU ME HUMILHAR) – Linda canção que ficou escondida entre tantas outras legais no Se eu me humilhar. Cheia de significado quando você a canta nos seus momentos íntimos com Deus. Clayton usa aquele recurso que já está ficando usual de pedir pras pessoas ligarem pra seus amigos e parente que andam atrás de uma cura. Linda ministração, principalmente para quem experimentou uma cura tão linda em sua própria família.

TOMA MINHA VIDA – (COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ) Essa na humilde opinião deste blog é a música mais bonita da DP. Linda canção cheia de poesia e que você descobriu como nasceu bem antes por aqui.



Muda o clima.

REVOLUÇÃO – (INÉDITA) Música que nasceu no auge das manifestações de 2013, single lançado apenas pela internet.e que retrata o pensamento de todo brasileiro cristão: Que a verdadeira revolução só pode existir no Brasil se Deus estiver no centro das manifestações. Citações a Janires e Rebanhão são bem vindas na letra. Bom ver que alguma banda ainda se preocupa em levar assuntos mais atuais em suas músicas. As bandas de rock dos anos 80 agradecem. Na parte de arranjos a Discopraise mostra seu amadurecimento em arranjo e timbres diferentes. Lembra as músicas dos anos 70.

AGENDA DE DEUS - (INÉDITA) Essa música que naturalmente começa a pipocar na 92fm, sem direcionamento, caiu no gosto popular. Salve Tim Maia na influência. Letra bem eclesiástica, mas de um jeito bem atual. Mostra que o cristão pode viver uma vida normal colocando Deus na sua agenda. Funk pra balançar o crente. Baixo marcante do Jota Albuquerque.

PEDRA NA MÃO – (INÉDITA)
Mais uma música nova da galera da banda. Citações da briga de Davi e o Gigante. É bom ver que a banda não imita ninguém, mas mantém seus arranjos muito bem bolados e sempre buscando uma interação com quem está nos seus shows. Ou seja, galera mais uma vez sendo liderada pelo maestro Clayton O´lee.

NÃO PARE – (AZZIZ) Música que fez com que a banda começasse a ser conhecida fora dos eixões de Brasília. Nos extras eles contam como a galera adorou essa música em um Som do Céu que eles participaram. Composição do Thalles que antes era um mero backing nos cds da banda. Com a tradicional paradinha de estátua pra os descoordenados da dança se encontrarem e para os mais velhos darem uma respirada. Música especial para finalizar o maravilhoso DVD da banda. No final tudo já era uma festa mesmo com direito a chuva de prata e muita emoção.

TEMA DA ALEGRIA INSTRUMENTAL - (INÉDITA) Tudo termina com um lindo instrumental. Emoção que transpira nesse DVD espetacular. Muitos e muitos elogios bem superlativos para essa grande produção. Vida longa a essa banda que mantém a humildade e consistência e espalha simpatia por onde anda. Claro que assumo minha parcialidade neste texto, mas você pode conferir se estou sendo mesmo exagerado ao assistir esse lançamento épico da banda e que a Sony que não era besta pegou pra si.  
Discopraise também pode mostrar como são excelentes músicos e evoluíram muito, principalmente em encontrar uma identidade para o som da banda. Palmas como sempre ao Rubinho, sempre um elemento oculto da banda, mas que sempre deixa seu grande trabalho bem a vista.

Pontos também para a mixagem sempre competente do Bill Reinikova (no Mosh, ou seja vai ser boa) e a Masterização do Tom Coyne (Sterling Sound - NY). Time que sempre ganha nos produtos discopraise.

Espero que a gravadora invista um pouco mais e coloque a banda na mídia secular, pois eles nada devem as bandas atuais. E tem muito mercado pela frente.

p.s. Ok, os créditos encerram o DVD com um clima completamente triste e que não combinou em nada com tanta alegria. Fica um clima de nostalgia. Se você não quiser chorar abaixe o volume.

p.s.do p.s.
Os extras são muito legais para você conhecer um pouco de toda a história da banda que tem muita coisa documentada desde o começo. Dirigido pelo Rodrigo Pequi que faz parte da equipe de criação da banda. Por lá você vai ver porque a dp é a banda mais criativa e pioneira do atual cenário gospel. Começando tocando numa rodoviária, sempre com músicas evangelísticas, diferencia a banda de muita coisa criada pra vender. Muitas coisas que você olha sendo feita hoje eles já faziam há tempos. Excelente para bandas novas aprenderem como o profissionalismo não precisa ser um inimigo na estrada das bandas gospel. E outra coisa. Eles mesmos sempre investiram neles. Tudo, até esse mesmo DVD, foi originalmente bancado por eles. Numa produção que pelo que conheço deve ter chegado perto um milhão de reais.
Nota do editor para o DVD: 10 com muito louvor.

MARCELA TAÍS DIVULGA CAPA DO NOVO CD

Já está definida a capa do novo álbum da Marcela Taís.
Com a singela foto do Bruno Fioravanti e a beleza suave da Marcela não ia ficar difícil sair coisa boa.
Moderno à moda antiga é tema desse tão aguardado trabalho.
Claro que quando sair você saberá antes aqui neste humilde blog (Assim como você conheceu ela aqui antes).
Só basta a Sony liberar porque tudo já está prontinho pra sair do forno.
A produção do cd é do multi premiado Michael Sullivan.
Vamos aguardar!

quinta-feira, abril 30, 2015

QUEM É RODRIGO SANTINELLI?

Muita gente que acompanha a Sony Gospel ficou se perguntando quem é o ilustre lenhador gospel RODRIGO SANTINELLI. 
Ok, muita gente não acompanha o que acontece antes como este blog, mas até eu que garimpo as coisas bem antes nunca o vi menos barbudo. 
Pensei comigo esse cara deve ser muito bom, afinal está numa major com bastante nome no mercado. 
E o seu comandante supremos já descobriu muita gente boa, ok e ruim também.
Fui a caça mas quase não achei nada sobre sua produção musical.
Depois que vi que ele é ligado a MIR, ou seja, venda não será problema. 
Se o Papa Renê Terranova mandar então!
Não existe muita coisa sobre ele nem sobre sua música.
Pelo menos não achei. 
Então não posso dizer nada sobre se é bom ou ruim.
Mas o cara deve ser muito bom para estar numa gravadora sem seguir aqueles passos de descoberta de um grande artista.
Temos uma entrevista no talkshow do cheirador de bíblia, em que ele conta umas histórias meio fora do prumo, mas tem quem goste.
Se você tiver curiosidade, vá com fé.
Se conseguir algum registro da sua música nos avise.
Só espero que não seja mais um rei do camarote.

REVOLUÇÃO BAND • ANTES

Descobri mais uma banda nova com um nome bem diferente. Breve mais informações. Clipe bem legalzinho, mesmo que tenha uma aula enorme no começo.

quinta-feira, abril 23, 2015

MORRE JOLCE BRITO DA BANDA E VOZ

O fundador e líder da Banda e Voz anunciou na manhã desta quinta (23/04/2105) o falecimentod a sua esposa e também tecladista da banda.
A banda e voz foi uma das bandas mais conhecidas dos anos 90, com vários lps conhecidos e muitas músicas que até hoje cantamos nas nossas igrejas como o reggae, inovador para a época, Jesus Virá.
Eles já estiveram em São Luís uma vez, trazidos pela Fm Esperança.
Nossos sentimentos à família.

segunda-feira, abril 20, 2015

SALOMÃO DO REGGAE • ANTES

O Salomão do Reggae é um artista gospel que há tempos corre atrás de um lugar para mostrar sua música a um público cada vez maior.
Pela primeira vez irá lançar um cd com uma pegada profissional e aí leia-se Jamba, produtor que veio da terra do Mickey com uma experiência bem legal e que tem acertado em algumas produções como a do Luiz Arcanjo.
Eu já tive a oportunidade de ouvir o cd todo e digo:
O Jamba se superou nessa produção. 
Pegou o melhor do Salomão e deu um upgrade sensacional.
Arranjos muito bem cuidados e criativos ao extremo.
Detalhe por detalhe, timbre por timbre, linhas de metais maravilhosas, arranjos criativos.
E tudo isso para um álbum de reggae que muita gente acha que deve ser tudo igual.
Há muita influência do pop americano e da mpb cult brasileira. Salve, salve Djavan!
O Salomão acerta dessa vez nos vocais e nos backings muito bem trabalhados.
Tenho certeza que o público e em particular, os músicos, vão adorar esse com trabalho.
Corre na mídia que o Alex Balaio Passos, videomaker, deve lançar um selo e o Salomão deve ser um dos seus artistas. (fontes do Wikileaks me confirmaram)
Ansioso pela repercussão desse álbum.
Ah, tem referência à Jamaica Brasileira em uma das músicas. (Por sinal a melhor do cd)
No site do regueiro tem a opção de você baixar esse single que já era sucesso antes. Baseado em quê!
www.salomão do reggae.com.br
Mas aqui você ouve antes. 
É só clicar na foto e curtir a pedra de responsa.
#MukIndica
https://soundcloud.com/salomao-do-reggae/baseado-em-que-nova-versao2015


quinta-feira, dezembro 18, 2014

MUKAMISETAS•A EVOLUÇÃO DAS CAMISETAS GOSPEL

Muita gente queria usar camisetas que fossem descoladas, que mostrassem o lado divertido e criativo de ser cristão. A Mukamisetas surgiu em 2012 no mercado, fruto de um sonho antigo. Agora você só não veste a nova natureza se não quiser. Faça seus pedidos direto no site www.mukamisetas.com.br A sua moda de outro mundo!


















sábado, dezembro 06, 2014

A COLDPLAYLIZAÇÃO DA MÚSICA GOSPEL BRASILEIRA


Devemos aos líderes de louvor internacionais e aos daqui o entrestecimento da música cristã brasileira.
Essa mania de consumir sem examinar nos faz muito além de colonizados, colonizadores da tristeza e melancolia em nosso meio.

Somos um país alegre. 
Todos os outros estilos de música daqui (exceto os derivantes da emo-music e da corno music) tem exemplos exponenciais de música pra cima, animadas, sorridentes.

Mas nós cristãos, com um sem número de salmos referenciando o júbilo em várias formas de som, preferimos a coldplaylização dos nossos momento de louvor.

Fernandinhos, Bruns, Quinlans, Cirilos, Rodolfos, e tantos outros preferem nos fazer chorar a sorrir diante do Senhor.

Temos a falsa ideia de que espiritualidade significa letargia, que adoração é melancolia. Afinal de contas somos walking deads espirituais?

Não digo que volta ou outra tenhamos momentos de contrição, mas daí ter 90% da música produzida por aqui saída de dentro de um freezer bíblico.

Já falei outras vezes. Vamos nos alegrar, vamos exultar, vamos nos jubilar na presença do Senhor.

O único Deus alegre é o nosso.
O único que nos dá motivos pra ser feliz é o nosso Deus.

Louvai
a Deus com alegria!
Quem tem ouvidos para ouvir: Pense!

terça-feira, novembro 25, 2014

SÃO LUÍS TEM O 10º MELHOR IDHM DO BRASIL

A Ilha do Amor experimentou um grande desenvolvimento até 2010 quando a pesquisa do Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil foi feita.
Na frente de todas as capitais do Nordeste, São Luís se apresenta ao lado de grandes cidades do Brasil como São Paulo, Brasília, Porto Alegre.
Entre 2000 e 2010, a população de São Luís cresceu a uma taxa média anual de 1,70%, enquanto no Brasil foi de 1,01%, no mesmo período. Nesta década, a taxa de urbanização do município passou de 96,17% para 94,45%. Em 2010 viviam, no município, 1.014.837 pessoas.

A mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano de idade) no município passou de 27,4 por mil nascidos vivos, em 2000, para 18,1 por mil nascidos vivos, em 2010. Em 1991, a taxa era de 49,3. Já na UF, a taxa era de 28,0, em 2010, de 46,5, em 2000 e 82,0, em 1991. Entre 2000 e 2010, a taxa de mortalidade infantil no país caiu de 30,6 por mil nascidos vivos para 16,7 por mil nascidos vivos. Em 1991, essa taxa era de 44,7 por mil nascidos vivos.
Com a taxa observada em 2010, o Brasil cumpre uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, segundo a qual a mortalidade infantil no país deve estar abaixo de 17,9 óbitos por mil em 2015.




Proporcões de crianças e jovens frequentando ou tendo completado determinados ciclos indica a situação da educação entre a população em idade escolar do estado e compõe o IDHM Educação. No município, a proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola é de 96,02%, em 2010. No mesmo ano, a proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental é de 88,14%; a proporção de jovens de 15 a 17 anos com ensino fundamental completo é de 67,20%; e a proporção de jovens de 18 a 20 anos com ensino médio completo é de 53,07%. Entre 1991 e 2010, essas proporções aumentaram, respectivamente, em 31,30 pontos percentuais, 43,56 pontos percentuais, 39,99 pontos percentuais e 33,09 pontos percentuais.

A renda per capita média de São Luís cresceu 116,73% nas últimas duas décadas, passando de R$ 371,59, em 1991, para R$ 502,14, em 2000, e para R$ 805,36, em 2010. A taxa média anual de crescimento foi de 35,13%, entre 1991 e 2000, e 60,39%, entre 2000 e 2010. A proporção de pessoas pobres, ou seja, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 140,00 (a preços de agosto de 2010), passou de 40,50%, em 1991, para 34,90%, em 2000, e para 13,81%, em 2010. A evolução da desigualdade de renda nesses dois períodos pode ser descrita através do Índice de Gini, que passou de 0,61, em 1991, para 0,65, em 2000, e para 0,61, em 2010.






Acompanhe a pesquisa:

São Luís, MA
Caracterização do território

Área
563,44 km²
IDHM 2010
0,768
Faixa do IDHM
Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799)
População (Censo 2010)
1.014.837 hab.
Densidade demográfica
1796,01 hab/km²
Ano de instalação
1612
Microrregião
Aglomeração Urbana de São Luís
Mesorregião
Norte Maranhense
IDHM
RendaLongevidadeEducação199120002010
DataRendaLongevidadeEducação
19910.6170.670.43
20000.6650.7370.582
20100.7410.8130.752
IDHM
0,562
0,658
0,768
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Componentes
O Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) - São Luís é 0,768, em 2010, o que situa esse município na faixa de Desenvolvimento Humano Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799). A dimensão que mais contribui para o IDHM do município é Longevidade, com índice de 0,813, seguida de Educação, com índice de 0,752, e de Renda, com índice de 0,741.
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal e seus componentes - São Luís - MA
IDHM e componentes 199120002010
IDHM Educação 0,4300,5820,752
% de 18 anos ou mais com ensino fundamental completo 51,8759,5873,45
% de 5 a 6 anos frequentando a escola 64,7289,9796,02
% de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental 44,5865,5688,14
% de 15 a 17 anos com ensino fundamental completo 27,2146,0467,20
% de 18 a 20 anos com ensino médio completo 19,9828,5953,07
IDHM Longevidade 0,6700,7370,813
Esperança de vida ao nascer (em anos) 65,1869,1973,76
IDHM Renda 0,6170,6650,741
Renda per capita (em R$) 371,59502,14805,36
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Evolução
Entre 2000 e 2010
O IDHM passou de 0,658 em 2000 para 0,768 em 2010 - uma taxa de crescimento de 16,72%. O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 67,84% entre 2000 e 2010.

Nesse período, a dimensão cujo índice mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,170), seguida por Renda e por Longevidade.
Entre 1991 e 2000
O IDHM passou de 0,562 em 1991 para 0,658 em 2000 - uma taxa de crescimento de 17,08%. O hiato de desenvolvimento humano foi reduzido em 78,08% entre 1991 e 2000.

Nesse período, a dimensão cujo índice mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,152), seguida por Longevidade e por Renda.
Entre 1991 e 2010
De 1991 a 2010, o IDHM do município passou de 0,562, em 1991, para 0,768, em 2010, enquanto o IDHM da Unidade Federativa (UF) passou de 0,493 para 0,727. Isso implica em uma taxa de crescimento de 36,65% para o município e 47% para a UF; e em uma taxa de redução do hiato de desenvolvimento humano de 52,97% para o município e 53,85% para a UF. No município, a dimensão cujo índice mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,322), seguida por Longevidade e por Renda. Na UF, por sua vez, a dimensão cujo índice mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,358), seguida por Longevidade e por Renda.
Evolução do IDHM - São Luís - MASão LuísMunicípio demaior IDHM noBrasilMunicípio demenor IDHM noBrasilIDHM BrasilIDHM Maranhão1991200020100,00,10,20,30,40,50,60,70,80,91,0
DataSão LuísMunicípio de maior IDHM no BrasilMunicípio de menor IDHM no BrasilIDHM BrasilIDHM Maranhão
19910.5620.6970.120.4930.357
20000.6580.820.2080.6120.476
20100.7680.8620.4180.7270.639
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Ranking
São Luís ocupa a 249ª posição entre os 5.565 municípios brasileiros segundo o IDHM. Nesse ranking, o maior IDHM é 0,862 (São Caetano do Sul) e o menor é 0,418 (Melgaço).
Demografia e Saúde
População
Entre 2000 e 2010, a população de São Luís cresceu a uma taxa média anual de 1,70%, enquanto no Brasil foi de 1,01%, no mesmo período. Nesta década, a taxa de urbanização do município passou de 96,17% para 94,45%. Em 2010 viviam, no município, 1.014.837 pessoas.

Entre 1991 e 2000, a população do município cresceu a uma taxa média anual de 2,42%. Na UF, esta taxa foi de 1,02%, enquanto no Brasil foi de 1,02%, no mesmo período. Na década, a taxa de urbanização do município passou de 35,61% para 96,17%.
População Total, por Gênero, Rural/Urbana - São Luís - MA
PopulaçãoPopulação (1991)% do Total (1991) População (2000)% do Total (2000) População (2010)% do Total (2010)
População total 691.596100,00857.387 100,001.014.837100,00
Homens 322.03346,56400.501 46,71474.99546,81
Mulheres 369.56353,44456.887 53,29539.84253,19
Urbana 246.24435,61824.550 96,17958.52294,45
Rural 445.35264,3932.838 3,8356.3155,55
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Estrutura Etária
Entre 2000 e 2010, a razão de dependência no município passou de 52,05% para 40,67% e a taxa de envelhecimento, de 3,86% para 5,19%. Em 1991, esses dois indicadores eram, respectivamente, 67,96% e 3,12%. Já na UF, a razão de dependência passou de 65,43% em 1991, para 54,94% em 2000 e 45,92% em 2010; enquanto a taxa de envelhecimento passou de 4,83%, para 5,83% e para 7,36%, respectivamente.

O que é razão de
dependência?

Percentual da população
de menos de 15 anos e
da população de 65 anos
e mais (população
dependente) em relação
à população de 15
a 64 anos (população
potencialmente ativa).
O que é taxa de
envelhecimento?

Razão entre a população
de 65 anos ou mais
de idade em relação
à população total.
Estrutura Etária da População - São Luís - MA
Estrutura EtáriaPopulação (1991)% do Total (1991) População (2000)% do Total (2000) População (2010)% do Total (2010)
Menos de 15 anos 258.24237,34260.426 30,37241.45723,79
15 a 64 anos 411.75459,54563.892 65,77720.72571,02
65 anos ou mais 21.6003,1233.069 3,8652.6555,19
Razão de dependência 67,96-52,05 -40,67-
Índice de envelhecimento 3,12-3,86 -5,19-
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
1991
Pirâmide etária - São Luís - MA
Distribuição por Sexo, segundo os grupos de idade
HomensMulheres10505100 a 45 a 910 a 1415 a 1920 a 2425 a 2930 a 3435 a 3940 a 4445 a 4950 a 5455 a 5960 a 6465 a 6970 a 7475 a 7980 e +
DataHomensMulheres
0 a 46-5.842862017709762
5 a 96.352986425601073-6.357902590529731
10 a 145.927015193841491-6.871352639402193
15 a 195.353703607308312-7.062649292361437
20 a 245.026200267208023-6.122215860126432
25 a 294.0634994997079215-4.9074893434895515
30 a 343.3843457741224645-3.880155466486215
35 a 392.74640107808605-3.1029676284998757
40 a 442.1088901613080466-2.305970537712769
45 a 491.5522067796806227-1.7265860415618368
50 a 541.2087982001052637-1.3698748980618742
55 a 590.900381147375057-1.0838697736829015
60 a 640.709518273674226-0.9212025517787841
65 a 690.5276201713138884-0.6962157097496227
70 a 740.32750334010028975-0.48323009386983157
75 a 790.2106721265015992-0.3351667736655504
80 e +0.17611437891485782-0.3669772526156889
2000
Pirâmide etária - São Luís - MA
Distribuição por Sexo, segundo os grupos de idade
HomensMulheres10505100 a 45 a 910 a 1415 a 1920 a 2425 a 2930 a 3435 a 3940 a 4445 a 4950 a 5455 a 5960 a 6465 a 6970 a 7475 a 7980 e +
DataHomensMulheres
0 a 45-4.762837828381083
5 a 94.772751659691995-4.711169272254802
10 a 145.442110223142848-5.759002925163403
15 a 195.887532832276635-6.910523590253187
20 a 245.223072867826469-6.210140566464658
25 a 294.193317377896588-5.0476563702781005
30 a 343.6223973276976116-4.443262560241104
35 a 393.1460668915356877-3.78941622695909
40 a 442.603372102245425-2.9947934890621286
45 a 492.00889212351934-2.2844966339626867
50 a 541.4815929310883755-1.7195248825502571
55 a 591.055881351266871-1.2790008724171553
60 a 640.8150335670664857-1.0529655185283677
65 a 690.5983288779409089-0.7915902718489178
70 a 740.41264864915300886-0.6108086420617037
75 a 790.27023937820450017-0.4169640816059941
80 e +0.25227784853531887-0.5040891638324773
2010
Pirâmide etária - São Luís - MA
Distribuição por Sexo, segundo os grupos de idade
HomensMulheres10505100 a 45 a 910 a 1415 a 1920 a 2425 a 2930 a 3435 a 3940 a 4445 a 4950 a 5455 a 5960 a 6465 a 6970 a 7475 a 7980 e +
DataHomensMulheres
0 a 44-3.675072942748441
5 a 93.8328322676449518-3.699608902710484
10 a 144.348875730782382-4.375086836605288
15 a 194.537280371133493-5.00523729426499
20 a 245.348346581766332-5.96460318258006
25 a 295.012036415700255-5.741414631118101
30 a 344.148646531413419-4.918326785483777
35 a 393.451096087351959-4.193974007648519
40 a 443.0281710264801145-3.7072948660720884
45 a 492.5058211318664965-3.0549733602539124
50 a 542.067918296238706-2.479807102027222
55 a 591.5815347686377224-1.8752765222395322
60 a 641.0967278489057848-1.3972687239428598
65 a 690.7852492567771967-1.0353386800047693
70 a 740.5621592433070532-0.8047597791566528
75 a 790.36311249983987576-0.5485610004365233
80 e +0.37158676713600314-0.7183419603345168





Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Longevidade, mortalidade e fecundidade
A mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano de idade) no município passou de 27,4 por mil nascidos vivos, em 2000, para 18,1 por mil nascidos vivos, em 2010. Em 1991, a taxa era de 49,3. Já na UF, a taxa era de 28,0, em 2010, de 46,5, em 2000 e 82,0, em 1991. Entre 2000 e 2010, a taxa de mortalidade infantil no país caiu de 30,6 por mil nascidos vivos para 16,7 por mil nascidos vivos. Em 1991, essa taxa era de 44,7 por mil nascidos vivos.
Com a taxa observada em 2010, o Brasil cumpre uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, segundo a qual a mortalidade infantil no país deve estar abaixo de 17,9 óbitos por mil em 2015.
Longevidade, Mortalidade e Fecundidade - São Luís - MA

199120002010
Esperança de vida ao nascer (em anos)65,269,273,8
Mortalidade até 1 ano de idade (por mil nascidos vivos)49,327,418,1
Mortalidade até 5 anos de idade (por mil nascidos vivos)64,535,919,8
Taxa de fecundidade total (filhos por mulher) 2,72,01,8
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
A esperança de vida ao nascer é o indicador utilizado para compor a dimensão Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). No município, a esperança de vida ao nascer cresceu 4,6 anos na última década, passando de 69,2 anos, em 2000, para 73,8 anos, em 2010. Em 1991, era de 65,2 anos. No Brasil, a esperança de vida ao nascer é de 73,9 anos, em 2010, de 68,6 anos, em 2000, e de 64,7 anos em 1991.
Educação
Crianças e Jovens

Proporcões de crianças e jovens frequentando ou tendo completado determinados ciclos indica a situação da educação entre a população em idade escolar do estado e compõe o IDHM Educação. No município, a proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola é de 96,02%, em 2010. No mesmo ano, a proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental é de 88,14%; a proporção de jovens de 15 a 17 anos com ensino fundamental completo é de 67,20%; e a proporção de jovens de 18 a 20 anos com ensino médio completo é de 53,07%. Entre 1991 e 2010, essas proporções aumentaram, respectivamente, em 31,30 pontos percentuais, 43,56 pontos percentuais, 39,99 pontos percentuais e 33,09 pontos percentuais.
Fluxo Escolar por Faixa Etária - São Luís - MA - 1991/2000/2010199120002010% de 5 a 6 anos na escola% de 11 a 13 anos nos anos finais...% de 15 a 17 anos com fundament...% de 18 a 20 anos com médio co...0255075100
Data199120002010
% de 5 a 6 anos na escola64.7289.9796.02
% de 11 a 13 anos nos anos finais do fundamental REGULAR SERIADO ou com fundamental completo44.5865.5688.14
% de 15 a 17 anos com fundamental completo27.2146.0467.2
% de 18 a 20 anos com médio completo19.9828.5953.07
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Fluxo Escolar por Faixa Etária - São Luís - MA - 2010São LuísMaranhãoBrasil% de 5 a 6 anos na escola% de 11 a 13 anos nos anos finais...% de 15 a 17 anos com fundament...% de 18 a 20 anos com médio co...20406080100
DataSão LuísMaranhãoBrasil
% de 5 a 6 anos na escola96.0293.8591.12
% de 11 a 13 anos nos anos finais do fundamental REGULAR SERIADO ou com fundamental completo88.1481.5684.86
% de 15 a 17 anos com fundamental completo67.247.8457.24
% de 18 a 20 anos com médio completo53.0729.641.01
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Em 2010, 85,33% da população de 6 a 17 anos do município estavam cursando o ensino básico regular com até dois anos de defasagem idade-série. Em 2000 eram 76,35% e, em 1991, 68,46%.

Dos jovens adultos de 18 a 24 anos, 16,21% estavam cursando o ensino superior em 2010. Em 2000 eram 6,84% e, em 1991, 3,44%.
Expectativa de Anos de Estudo
O indicador Expectativa de Anos de Estudo também sintetiza a frequência escolar da população em idade escolar. Mais precisamente, indica o número de anos de estudo que uma criança que inicia a vida escolar no ano de referência deverá completar ao atingir a idade de 18 anos. Entre 2000 e 2010, ela passou de 9,59 anos para 9,84 anos, no município, enquanto na UF passou de 6,87 anos para 9,26 anos. Em 1991, a expectativa de anos de estudo era de 8,63 anos, no município, e de 6,29 anos, na UF.
População Adulta
Também compõe o IDHM Educação um indicador de escolaridade da população adulta, o percentual da população de 18 anos ou mais com o ensino fundamental completo. Esse indicador carrega uma grande inércia, em função do peso das gerações mais antigas, de menor escolaridade. Entre 2000 e 2010, esse percentual passou de 59,58% para 73,45%, no município, e de 39,76% para 54,92%, na UF. Em 1991, os percentuais eram de 51,87% ,no município, e 30,09%, na UF. Em 2010, considerando-se a população municipal de 25 anos ou mais de idade, 5,92% eram analfabetos, 70,41% tinham o ensino fundamental completo, 54,79% possuíam o ensino médio completo e 13,73%, o superior completo. No Brasil, esses percentuais são, respectivamente, 11,82%, 50,75%, 35,83% e 11,27%.

Fundamentalincompleto eanalfabetoFundamentalincompleto ealfabetizadoFundamentalcompleto emédio incompletoMédio completoe superiorincompletoSuperiorcompleto14%29.6%13.6%36.6%
Data% de 25 anos ou mais com médio completo
Fundamental incompleto e analfabeto13.95
Fundamental incompleto e alfabetizado36.599999999999994
Fundamental completo e médio incompleto13.620000000000005
Médio completo e superior incompleto29.619999999999997
Superior completo6.21
9.7%33.5%7.2%34.3%15.4%
Data% de 25 anos ou mais com médio completo
Fundamental incompleto e analfabeto9.67
Fundamental incompleto e alfabetizado33.489999999999995
Fundamental completo e médio incompleto15.400000000000006
Médio completo e superior incompleto34.28
Superior completo7.16
23.7%15.6%13.7%41.1%
Data% de 25 anos ou mais com médio completo
Fundamental incompleto e analfabeto5.92
Fundamental incompleto e alfabetizado23.67
Fundamental completo e médio incompleto15.619999999999997
Médio completo e superior incompleto41.06
Superior completo13.73
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Renda
A renda per capita média de São Luís cresceu 116,73% nas últimas duas décadas, passando de R$ 371,59, em 1991, para R$ 502,14, em 2000, e para R$ 805,36, em 2010. A taxa média anual de crescimento foi de 35,13%, entre 1991 e 2000, e 60,39%, entre 2000 e 2010. A proporção de pessoas pobres, ou seja, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 140,00 (a preços de agosto de 2010), passou de 40,50%, em 1991, para 34,90%, em 2000, e para 13,81%, em 2010. A evolução da desigualdade de renda nesses dois períodos pode ser descrita através do Índice de Gini, que passou de 0,61, em 1991, para 0,65, em 2000, e para 0,61, em 2010.

O que é Índice de Gini?
É um instrumento usado para medir
o grau de concentração de renda.
Ele aponta a diferença entre os
rendimentos dos mais pobres e dos
mais ricos. Numericamente, varia
de 0 a 1, sendo que 0 representa
a situação de total igualdade, ou seja,
todos têm a mesma renda, e o valor
1 significa completa desigualdade
de renda, ou seja, se uma só pessoa
detém toda a renda do lugar.
Renda, Pobreza e Desigualdade - São Luís - MA

199120002010
Renda per capita (em R$)371,59502,14805,36
% de extremamente pobres
16,2013,024,53
% de pobres
40,5034,9013,81
Índice de Gini0,610,650,61
Fonte: PNUD, Ipea e FJP


1º Quinto2º Quinto3º Quinto4º Quinto5º Quinto9.6%16.8%65.1%
DataRenda per capita média do 3º quinto mais pobre
1º Quinto49.21
2º Quinto107.97
3º Quinto178.5
4º Quinto312.75
5º Quinto1209.51
8.2%15.2%69.5%
DataRenda per capita média do 3º quinto mais pobre
1º Quinto54.29
2º Quinto123.04
3º Quinto204.74
4º Quinto382.54
5º Quinto1746.11
9.4%16.1%66.1%
DataRenda per capita média do 3º quinto mais pobre
1º Quinto107.77
2º Quinto232.41
3º Quinto376.78
4º Quinto648.45
5º Quinto2661.84

Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Trabalho

Composição da população de 18 anos ou mais de idade – 2010
Populaçãoeconomicamente ativaocupadaPopulaçãoeconomicamente ativadesocupadaPopulaçãoeconomicamenteinativa19.6%12%68.4%
DataPopulação de 18 anos ou mais
População economicamente ativa ocupada489869.172
População economicamente ativa desocupada85655.48680000001
População economicamente inativa140658.34119999997
nullnull
nullnull


Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Entre 2000 e 2010, a taxa de atividade da população de 18 anos ou mais (ou seja, o percentual dessa população que era economicamente ativa) passou de 67,19% em 2000 para 68,40% em 2010. Ao mesmo tempo, sua taxa de desocupação (ou seja, o percentual da população economicamente ativa que estava desocupada) passou de 21,16% em 2000 para 11,96% em 2010.
Ocupação da população de 18 anos ou mais - São Luís - MA
20002010
Taxa de atividade67,1968,40
Taxa de desocupação 21,1611,96
Grau de formalização dos ocupados - 18 anos ou mais50,5156,81
Nível educacional dos ocupados

% dos ocupados com fundamental completo65,9778,07
% dos ocupados com médio completo 49,0861,64
Rendimento médio

% dos ocupados com rendimento de até 1 s.m. 50,2719,17
% dos ocupados com rendimento de até 2 s.m. 75,8069,78
Percentual dos ocupados com rendimento de até 5 salários mínimo90,7688,62
Fonte: PNUD, Ipea e FJP

Em 2010, das pessoas ocupadas na faixa etária de 18 anos ou mais do município, 1,83% trabalhavam no setor agropecuário, 0,86% na indústria extrativa, 5,80% na indústria de transformação, 10,39% no setor de construção, 0,77% nos setores de utilidade pública, 19,55% no comércio e 53,39% no setor de serviços.

Habitação
Indicadores de Habitação - São Luís - MA

199120002010
% da população em domicílios com água encanada70,3263,7583,18
% da população em domicílios com energia elétrica99,0499,6799,89
% da população em domicílios com coleta de lixo. *Somente para população urbana. *Somente para população urbana64,6175,9292,95
Fonte: PNUD, Ipea e FJP

Vulnerabilidade social
Vulnerabilidade Social - São Luís - MA
Crianças e Jovens 199120002010
Mortalidade infantil49,3127,4418,10
% de crianças de 0 a 5 anos fora da escola-64,7350,00
% de crianças de 6 a 14 fora da escola12,683,753,23
% de pessoas de 15 a 24 anos que não estudam, não trabalham e são vulneráveis, na população dessa faixa
-19,2013,65
% de mulheres de 10 a 17 anos que tiveram filhos2,183,022,05
Taxa de atividade - 10 a 14 anos-3,724,75
Família


% de mães chefes de família sem fundamental e com filho menor, no total de mães chefes de família15,8215,5811,59
% de vulneráveis e dependentes de idosos2,563,342,36
% de crianças com até 14 anos de idade que têm renda domiciliar per capita igual ou inferior a R$ 70,00 mensais
21,6518,617,34
Trabalho e Renda


% de vulneráveis à pobreza
63,9158,5635,27
% de pessoas de 18 anos ou mais sem fundamental completo e em ocupação informal-34,4121,49
Condição de Moradia


% da população em domicílios com banheiro e água encanada59,1259,7681,26
Fonte: PNUD, Ipea e FJP
Related Posts with Thumbnails