Manda

segunda-feira, setembro 01, 2014

MODA GOSPEL • COMO SE VESTIR PARA IR A IGREJA


Acho meio desnecessário essa padronização que tentam nos encucar como se fosse preceito bíblico. Nao é de hoje que querem dizer como nos vestir.
Acho que devemos manter uma espécie de bom senso, mas nada de querer dizer que existe moda santa ou não. Ou que moda é do capeta. São dois extremos.
A única coisa que não acho muito legal é um excesso de sensualidade, ou de auto propaganda sexy sendo vulgar, que muitas (os) tentam fazer nas igrejas.
Mas acho legal cada um ter seu estilo para ir na igreja.
Se tiver com falta indico você dar uma passada na Queen Moda Feminina. Ou colocar sua Mukamisetas. (frase patrocinada)

 

Igreja publica cartilha com dicas de moda para orientar evangélicos




Larissa Oliveira aposta em terno e salto para levantar a produção (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Larissa Oliveira aposta em terno e salto para levantar a produção (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Pedro Diniz, na Folha de S.Paulo
“Minha mãe quase me levou para a Febem. Eu usava drogas, namorava um traficante e sempre estava com roupas muito curtas, vulgares. Hoje o Espírito Santo me toca quando me visto.”
Esse é o testemunho que Ana Carolina Xavier, 18, dá quando quer evangelizar as amigas que não entendem seu look atual: uma blusa branca abotoada até o colo e uma calça jeans que pouco delineia o corpo.
Com peças apropriadas “para adorar a Deus”, ela frequenta o Templo de Salomão, espaço de proporções faraônicas para 10 mil pessoas construído pela Igreja Universal, aberto há um mês no Brás, zona leste de SP.
Como a maioria das 33 pessoas entrevistadas pela Folha na saída de três encontros religiosos no templo, Ana Carolina não lê revistas de moda. Mas está atenta às instruções de sites evangélicos e às de Flavia Francellino, uma jovem repórter de comportamento do jornal institucional da igreja, a “Folha Universal”.
“Esqueça legging”, “observe se algo está marcando” e “não se maquie como se fosse para a São Paulo Fashion Week” estão entre as recomendações de Flavia, que publicou neste mês um texto chamado “O que vestir para ir ao Templo de Salomão”, reproduzido nas redes sociais. Ela não quis dar entrevista para esta reportagem.
“Me vestia como uma qualquer, com shorts curtos para chamar a atenção”, conta a auxiliar de enfermagem Tatiane Cardoso, 34.
“Perdi meu amor antes de entrar para a igreja porque usava tudo de forma vulgar. Hoje, se for para usar renda, que seja com uma blusa por baixo”, diz a manicure e cabeleireira Aline de Jesus, 24.
VIRTUOSA ELEGANTE
As fieis afirmam que, independentemente da roupa, a mulher tem de estar “virtuosa”. Isto é, “andar na moda, elegante, mas não mostrar tanto o corpo num lugar que é para você se reportar a Deus”, explica a secretária curitibana Fernanda Martins, 21.
Ela, que usava um vestido estampado em tons de azul, diz escolher também as roupas do namorado, o eletricista Felipe José, 24. O casal se conheceu num programa de reuniões da igreja para aproximar jovens.
“Gosto de vesti-lo no estilo esporte fino”, conta ela, enquanto ele, tímido, concorda com tudo. “Mas tem que estar com todos os botões fechados, né? Não gosto se ele sai com a camisa aberta.”
À RISCA
Por meio de sua assessoria, a Igreja Universal afirma que não há regras de vestimenta para frequentar o Templo de Salomão e que as informações publicadas são pontos de vista dos profissionais do jornal.
A diarista Maria Helena Soares, 43, porém, gosta de seguir à risca as orientações dos pastores para não usar “regatas, bermudas, maquiagem pesada e bonés dentro do Templo.” Ela usava uma saia até os pés combinada com blusa lilás e cachecol.
Dona de casa, Cleide Santos, 55, diz que “Deus vem mudando a visão do povo, evangelizando o mundo e fazendo as pessoas perceberem que o que importa é o caráter e a integridade. Amém?”.
Dicas de moda da ‘Folha Universal’
  • Jeans são megaconfortáveis, mas para esta ocasião não devem sair do armário
  • Estampas chamativas, como animal print, devem ficar aposentadas
  • Esqueça legging, faça isso um mantra na sua vida
  • Blusas transparentes usadas com segunda peça por baixo propõem um visual contemporâneo
  • Saia mídi [na altura do joelho] deixa a composição para lá de elegante, enquanto a combinação com pantalona a deixa despretensiosa
Leia depoimentos de fieis sobre moda no blog Peça Única.

Jenifer Almeida usa meia grossa para não mostrar as pernas (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Jenifer Almeida usa meia grossa para não mostrar as pernas (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Maria Helena Soares arremata a saia longa com um cachecol (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Maria Helena Soares arremata a saia longa com um cachecol (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

Felipe e Fernanda Martins em looks escolhidos por ela (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
Felipe e Fernanda Martins em looks escolhidos por ela (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

A cabeleireira Fabrícia Almeida, 25 (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
A cabeleireira Fabrícia Almeida, 25 (foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
 Ctrl C: Pavablog

sexta-feira, agosto 29, 2014

PENSO LOGO INSISTO • MANIAS GOSPEL

Estou vendo uma novas ondas e outras recicladas da juventude gospel atual.
Uns fazendo voto de deixar a barba crescer.
Outros de deixar de comer carne.
Uns de deixar de tomar coca.
Uns de ficar sem ver tv.

Me preocupa um pouco porque todas elas tem um fundo de troca ou de uma pseudo maior aceitação de Deus para o que você faz ou não.

Gostaria de lembrar que Deus já sabe que nós não somos nada e nada do que façamos pode fazer com que ele nos aceite mais ou menos.

Isso é troca.
Deus não troca.
Deus dá a Graça. Ele pagou o preço e foi caro.

Isso me lembra as penitências que no fundo e no raso é tentar comprar Deus com o que fazemos. Ficamos muito parecidos com aqueles que sobem escadarias de joelhos ou carregam uma cruz com a camisa do Moto até São José de Ribamar. Tem um valor interno grande porque parece que você é um pouco mais merecedor da Graça de Deus, porém a Graça foi dada sem pedira nada em troca.
É como se você voltasse à loja e tentasse pagar o valor da boneca Barbie que seus pais lhe deram de presente.

"Terei tudo de Deus, quando der tudo de mim".

Na realidade muito dessa prática é datada do Velho Testamento e não teve o upgrade para o Novo. Ou seja vale a versão P.G.0033 (pós Graça) assinada por Jesus.
Quem tem ouvidos para ouvir que pense.

quarta-feira, agosto 27, 2014

ANTES • ENTREVISTA EXCLUSIVA - JAMES PIERRE

Ele acabou de lançar seu primeiro Ep e o Blog do Mukamatrix já estava de olho nele há muito tempo. Um cara de voz e interpretações privilegiadas, que escolheu ser meio indie e que vai arrebanhando mais admiradores. 
Então pra depois você não sair dizendo que a gente não avisou você antes: Com vocês James Pierre.

BLOG DO MUKAMATRIX- James Pierre (Djêimes Pierre para os incautos)
Você agora está saindo do patamar backing de Edimar Filho para James, o famosão.
Conte nos a sua trajetória até chegar na gravação desse Ep, lembrando que nem todos os terrákios conhecem você ainda, mas isso será só uma questão de tempo.

Famosão, é? (Risos)
Então, vim de uma família BEM ligada à música. Talvez por isso, desde pequeno, já vim me inclinando pra cantoria e meus pais logo perceberam isso. A partir daí, começaram a inserir meu nome na programação da igreja. Eu tava com uns 7 anos, eu acho.
Maaais lá na frente, eu conheci o Edimar através de um programa de rádio onde as pessoas ligavam e cantavam. Acabamos nos tornando amigos e, posteriormente, cantando e compondo juntos.

BLOG DO MUKAMATRIX- Como foi a história da gravação desse Ep, é verdade que antes de chegar no produto final, até produção no exterior você já teve?

Esse EP foi um filho. E o parto foi complicado. Mas o que importa é que nasceu.

Por um tempo, fiquei bem confuso quanto ao estilo que quis abordar. Comecei lançando músicas voz e violão no Soundcloud, depois surgiu a ideia de sentar e criar um material para um "primeiro álbum da carreira". Foi aí que Edimar (Edimar Filho) e eu começamos a arquitetar o projeto. Compomos, ele compôs, eu tentei compor (porque, até então, nada do que eu fazia me agradava e acabava descartando). Na lista, estava AMOR E NADA MAIS. Essa composição de Edimar, feita pra esse projeto meu, logo foi abraçada. Aí entra na história o produtor Teo Buzz. Ele reside na Grécia e tem um projeto pop bem legal por lá. Conversamos e decidimos fazer essa faixa. Foi uma experiência muito legal.


BLOG DO MUKAMATRIX- Você optou pela música romântica, apesar de ter vindo da música gospel. Digamos que você se jogou no que se está chamando de Crossover. Esse é o caminho para novos artistas do gospel ou você apenas não quer ser chamado de gospel?

De uns tempos pra cá, eu me pergunto o porquê dessa mania de rotular o GOSPEL e o SECULAR (e agora o CROSSOVER). Certa vez, li uma entrevista de uma de minhas bandas favoritas, a Switchfoot, sobre o assunto. Eles traduziram bem o sentimento que adotei, quando disseram que muitas canções são dignas de serem escritas pela simples alegria da música. E, afinal, Jesus Cristo não morreu por nenhuma de minhas músicas. Ele morreu por mim. A minha vida será julgada por minha obediência e não por minha capacidade de limitar as minhas letras nessa ou naquela caixa. É uma ideia que eu apoio, sabe? Sempre vi a música como uma arma poderosíssima. Cabe a cada um escolher o que quer sentir pelo ouvir.

Sobre sua pergunta, eu acho que cada artista deve imprimir o seu EU em suas faixas e mostrar às pessoas. Como um quadro pintado, sabe? Com um título dado por você e não adotar rótulos prontos.


BLOG DO MUKAMATRIX- E em relação ao mercado, você acha que os dois públicos vão lhe abraçar?

Espero que sim. Minha proposta é de um som sadio, com letras que levam uma mensagem. Acho que isso não afasta ninguém, né? (Risos)


BLOG DO MUKAMATRIX- Quais são suas influências?

Eu ouço MUITA coisa. O que torna uma tarefa difícil responder essa pergunta. Desde pequeno, sempre fui apaixonado pela música negra. Hoje sou mais. O blues, o jazz, o RnB, o pop, a MPB... Então acho meio injusto colocar nomes de artistas em holofotes. Ok, tenho meus preferidos, e quem me conhece sabe, mas enfim. (Risos)


BLOG DO MUKAMATRIX- Você acha que hoje o público maranhense está mais antenado ou ainda prefere Pepê Jr., forró, sertanejos e afins?

Cara, o público maranhense tá de parabéns. Cada vez mais, você vê os jovens se propondo a conhecerem coisas novas relacionadas à arte. É até meio estranho você falar de uma banda "hipster" pra alguém, e esse alguém responder que conhece. É estranho, mas é BEM da hora.


BLOG DO MUKAMATRIX- Como você projeto sua carreira, o que você sonha e o que vai realmente fazer?

Meu sonho sempre foi viver de música. Confesso que ainda não me joguei de cabeça nesse sonho porque tenho contas a pagar e preciso de um "chão" pra por os pés e pagar as contas. Mas esse EP, pra mim, é o primeiro passo em busca de viver esse sonho.


BLOG DO MUKAMATRIX- Como as pessoas podem adquirir suas músicas?

Disponibilizei o álbum completo no Soundcloud, Deezer, Rdio, Noisetrade, Spotify, iTunes, Amazon... ufa! Alguns desses sites permitem download gratuito, outros só permitem que a pessoa ouça e outros permitem que deixem uma pequeníssima quantia em troca da versão digital (para aqueles que querem $ ajudar $ no meu trabalho).  Enfim, não há desculpas pra não ouvir e baixar, heim?


BLOG DO MUKAMATRIX- Vai ter um álbum físico?

Vai sim. Logo logo estarei falando como adquirir.


BLOG DO MUKAMATRIX- Clipes serão essenciais para você?

Serão sim. Não sou muito amigo das câmeras. Elas me fazem rir desenfreadamente. Mas entendo que os vídeos são ferramentas agradabilíssimas pra uma carreira e estarei usando em breve.


 
BLOG DO MUKAMATRIX- Depois dessa entrevista muita gente vai querer se comunicar com você. Você acha essa interação entre fãs e artistas legal?

Acho super legal e TOTALMENTE essencial. Nunca entendi a apatia de alguns artistas pelo público. Eles que abraçam o artista, dão moral, fazem a imagem (querendo ou não). Sem contar que eles são responsáveis pela alegria que é ver seu projeto alavancar.


BLOG DO MUKAMATRIX- Como podem te achar?


Como ainda não tenho site, as ferramentas que estou usando são as redes sociais. Tenho uma página no Facebook (James Pierre), tenho Twitter (@JamesPierre31) e Instagram (JamesPierre31).

E, Muks, muito obrigado por esse momento legal. Acho que nunca dei uma entrevista antes. Daí tu dá o desconto. Falou!

terça-feira, agosto 26, 2014

DICAS DO MUKAMA • CARTA ÀS NOVAS BANDAS: COISAS QUE SEMPRE QUIS QUE ALGUÉM ME FALASSE MAS NINGUÉM QUIS AJUDAR.



Comecei com minha primeira banda lá pelos anos 80. Na realidade num período em que nem guitarra e nem bateria eram bem-vindos na igreja, comecei a fazer umas músicas com meu irmão no seu teclado Casio e sua Bateria de dedo.
No começo dos anos 90 a coisa foi ficando maior e a SL150 fazia shows por todos os lugares e eventos. Das praias, as praças, trios e abrindo para todas as bandas famosas que vinham a São Luís. Esse era o limite do nosso sonho. O máximo que podíamos alcançar naquela época pré internet e divulgação digital. Mesmo longe dos grandes centros conseguimos uma certa notoriedade e até uma revista cristã de veiculação nacional fez matéria sobre nós.
Gravar um cd naquela época era meio impensável, mas nós conseguimos. E juntamos na produção gente importante como Gérson da Conceição, Moisés Motta (Mano Banto) e Leo Costa que já havia produzido a Tribo de Jah.
Erramos e aprendemos, mas pouca gente nos ajudou. Hoje o mercado mudou muito e gostaria de compartilhar um pouco da minha experiência com vocês. Para isso servem os velhos.


  1. Procurem o som da banda. Não tentem imitar Oficina, Resgate, Palavrantiga, Felipão. Seja quem for sua influência, seja você mesmo. O mercado vive atrás de coisas novas e boas e principalmente que tenha Identidade própria. 
  2. Dê um passo de cada vez. Se você tem a melhor música do mundo, mas ninguém sabe, não adianta. Comece a fazer seu público, toque em bastante eventos, grave vídeos bem feitinhos, use as redes sociais, interaja com seus fãs e a partir daí siga em frente. Falo isso porque tem muito artista com um single que já quer ser contratado por gravadora e muitos que nunca se apresentaram que já querem gravar um cd. 
  3. Quando você tiver alguns seguidores não fique “poser”. Conheço gente nova que ainda nem chegou a ter um público fiel e que já tem a empáfia de alguns artistas consagrados. Tanto no palco quanto na vida real..
  4. Evite muitos cacos ao vivo. Nem todo mundo é um showman como o Thalles, a Lorena Chaves. Concentre-se em mostrar sua música. Evite papos muito longos entre uma música e outra. Se na vida real você não é engraçado, não tente ser engraçado no palco. Uma vez falei isso a um amigo e ele não se ofendeu. Durante o tempo que ele seguiu a minha dica seu show ficou muito melhor. Ensaio nunca é demais. Aprimore seu ao vivo nos ensaios. O público detesta ver bandas que parecem que estão ensaiando nas apresentações, que os músicos se olham sem saber o que fazer.
  5. Show é sim entretenimento. Isso não é pecado. Ofereça um conteúdo artístico de qualidade. Isso é reflexo de como vai ser sua performance, seus arranjos, seus instrumentos, sua produção e ensaios. Tudo isso influencia na hora da sua comunicação.
  6. Invista na sua banda. Uma frase que Deus me disse uma vez não sai da minha cabeça: Muk, se você não investir no seu trabalho quem vai investir? Muita gente fica mendigando ajuda de uns e outros, quando ele mesmo não dá tudo de si para gravar. Usa roupas de griffe para namorar, mas não quer pagar um período a mais para consertar aquela bateria mal gravada.
  7. Se você vai gravar um cd procure o melhor estúdio que você puder pagar. Se você vai gravar um cd procure a melhor masterização que você puder pagar. Não se contente com masterizações feitas em notebook. Lembre-se: o público está cada vez mais exigente.
  8. Se você for gravar chame um produtor. Muitas bandas e artistas que eu conheço acham que serão eles mesmos a nova revelação da música gospel nacional e, oxalá, internacional. Eles vêm muitas vezes, autossuficientes, com aquela singela frase: - Ninguém conhece mais o nosso som que nós mesmos! Ledo engano. Michael Jackson, Beatles e Elvis não produziam seus álbuns. Sempre tinha um genial produtor por trás dos seus sucessos.
  9. Contrate um assessor de imprensa para cuidar da sua divulgação. Hoje em dia, inclusive em São Luís, você já pode contar com gente tarimbada no mercado, que pode ajudá-lo desde na divulgação nas redes sociais, quanto no envio de material seu para gravadoras, sites, etc.
  10. Hoje muita gente está entrando na onda do Crossover. Acho legal, bonitinho, moderno. Mas nunca se esqueça de que a diferença da nossa música está no conteúdo do Reino. Mesmo que seu segmento seja música romântica, forró, MPB; “whatever”. Não esqueça de ter no seu som o que Cristo tem para as pessoas. Indiquem pros seus amigos que tem bandas, ok?! With love. Muk. Ah, se for copiar no seu site me avisa tá?!

quarta-feira, agosto 20, 2014

EVANGÉLICAS NO MISS BUMBUM

Não sei de onde ele tirou que a Andressa Urach é maranhense, mas reproduzo aqui essa notícia colhida no Luis Cardoso, um dos blogueiros mais foclóricos do Maranhão.
"A erradicada no Maranhão e hoje morando em São Paulo, a vice Miss Bumbum do Brasil em 2012 Andressa Urach, mora hoje na mesma casa com a modelo Rebeka Francis, que concorre ao concurso Miss Bumbum Nacional versão 2014. As duas são evangélicas da Igreja Universal do Reino de Deus.
Nos últimos dias as beldades têem sido alvos de agressões provavelmente por evangélicos da IURB . Neste último final de semana o muro da casa dela amanheceu pichado com afirmações agressivas. O principal alvo, conforme admite Rebeka, seria ela mesma.
Veja abaixo  foto do muro com as ofensas.
muro
“Aquilo foi pra mim, pois há dias tinham uns perfis fakes em minhas redes sociais falando sobre minha religião. Como é algo que realmente me ofende, eles acharam meu ponto fraco e quiseram me humilhar. As pessoas são maldosas e acabam não tendo noção de seus atos”, disse Rebeka.
Rebeka contou que sempre sonhou participar de um concurso de beleza, mas que a sua família, que segue a mesma religião, não apoia. “Mas eles aceitaram”, garantiu ela, antes de completar: “Quando entrei no concurso, foi para ir até o fim. Posso sensualizar, sim, sem problema nenhum, mas uma coisa é o concurso, outra é a minha religião. Jamais vou sensualizar em uma igreja”.
A candidata a Miss Bumbum sabe que sua opção pode não ser bem aceita pela comunidade evangélica.“Não estou me vendendo, nem nada parecido. Sou empresária, estudante e participante de um concurso, mas as pessoas com certeza vão me julgar como pecadora. Quem não tem pecado que atire a primeira pedra. Sei que Deus sabe meu coração e meus sonhos, o que me importa é ir buscar a palavra e alimento para meu espírito”, afirmou.
Ela ainda confessou que ficou tímida no começo por ter que ficar tanto tempo de biquíni, mas que, mesmo com um visual mais discreto, não teria como esconder seus ‘atributos’.
Concorrendo ao Miss Bumbum pela primeira vez Rebeka Francis tem toda família frequentadora da Igreja Universal em São Paulo. Existem membros da igreja querendo que as duas não frequentem mais o templo porcausa das fotos sensuais que são mostradas pela imprensa.

Já a maranhense Andressa Arach entrou por último na igreja. Antes, porém, foi escolhida a vice Miss Bumbum Brasil 2012 e em seguida posou para a revista Sexy."


Ctrl C: Luis Cardoso

ELES CRESCERAM

Eles já foram celebridades mirins. Por onde estarão agora?



Crianças famosas de 'O Chamado', 'Jumanji' e 'A Malandrinha'. (Foto: Reprodução)
Eles deram rosto, corpo e voz a gerações de crianças em filmes dos mais variados gêneros. Hoje, porém, todo aquele talento precoce anda meio apagado... Relembre a seguir 20 estrelas mirins que, atualmente, não experimentam mais a mesma exposição na mídia que tinham quando eram jovenzinhos e jovenzinhas.
Devin Ratray em 'Esqueceram de Mim' (1990) e atualmente, aos 37 anos de idade. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Amber Scott fez a filha de Robin Williams em 'Hook: A Volta do Capitão Gancho' (1991). Hoje tem 29 anos. (Foto: Reprodução e Divulgação)
Bradley Pierce fez o Peter do clássico 'Jumanji' (1995). Agora está com 31 anos de idade. (Foto: Reprodução e Divulgação)
Liesel Matthews era 'A Princesinha' em 1995. Agora, aos 30 anos, é vice-presidente de uma ONG internacional e atende pelo nome de Liesel Pritzker Simmons. (Foto: Reprodução e Facebook)
Daveigh Chase será eternamente a Samara de 'O Chamado' (2002). Atualmente tem 24 anos. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Olha como está hoje, aos 22 anos de idade, Freddie Highmore, o Charlie da versão de 2005 de 'A Fantástica Fábrica de Chocolate'. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Alisan Porter já foi 'A Malandrinha' em 1991. Na atualidade, aos 34 anos de idade, é cantora. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Joey Gaydos Jr. fez 'Escola de Rock' (2003) e atualmente tem 23 anos. (Foto: Reprodução e Acervo Pessoal)
Daniel Tay em 'Um Duende em Nova York' (2003) e hoje, com 22 anos. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Mara Wilson está com 27 anos e tem escrito roteiros. Mas será sempre lembrada pelo papel-título de 'Matilda' (1996). (Foto: Reprodução e Twitter)
Lembra-se do vietnamita Jonathan Ke Quan em 'Indiana Jones e o Templo da Perdição' (1984)? O ator completa 43 anos neste mês de agosto. (Foto: Reprodução e Getty Images)
O inglês Thomas Brodie-Sangster encantou o mundo em 'Simplesmente Amor' (2003). Hoje tem 24 anos de idade. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Olivia Hack fez a versão para o cinema de 'A Família Sol, Lá, Si, Dó' em 1995. Agora está com 31 anos. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Você se recorda de Ariana Richards em 'Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros' (1993)? Atualmente a atriz também é pintora e tem 34 anos. (Foto: Reprodução e Divulgação)
Conhecido por protagonizar a série de filmes de 'A História Sem Fim', nos anos 80, Barret Oliver faz 41 anos neste mês de agosto e tem se dedicado à sua crença, a cientologia. (Foto: Reprodução e Acervo Pessoal)
Amy O'Neill, de 'Querida, Encolhi as Crianças' (1989), está com 43 anos de idade. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Keith Coogan em 'Uma Noite de Aventuras' (1987) e atualmente, aos 46 anos. (Foto: Reprodução e Getty Images)
Ross Bagley começou em 'Independence Day' (1996). Agora está na universidade e tem 25 anos. (Foto: Reprodução e Twitter)
Ross Malinger debutou em Hollywood na comédia romântica 'Sintonia de Amor' (1993). Seu último papel foi na extinta série 'Without a Trace' em 2006. Recentemente, Ross, que está com 30 anos, foi visto trabalhando numa concessionária de automóveis em Malibu, Califórnia. (Foto: Reprodução)
Charlie Korsmo, astro-mirim de 'Dick Tracy' (1990), está com 36 anos de idade, virou professor de direito e político do partido conservador dos EUA. (Foto: Reprodução e Divulgação)
Control  C: Monet

segunda-feira, agosto 18, 2014

PENSO LOGO INSISTO • COMUNICANDO O REINO

Analisando a forma como muitos líderes cristãos tem se relacionado nesses tempos de mídia livre, andava meio angustiado.
Vivi vários tempos.
Primeiro uma época áurea em que se produzia muita coisa boa, mas não havia como divulgá-la.
Depois vivi os primórdios da invasão da mídia cristã institucional.
Nessa semana com a morte de Robin Williams (que foi uma espécie de inspiração para mim no seu modelo de rádio em Bom Dia Vietnã), passei a relembrar meus diálogos comigo mesmo no começo da minha profissão/missão na Rádio Esperança em 1990:
-Como atrair as pessoas no rádio para ouvirem/conhecerem a Jesus?
Resolvi não ser igual. Resolvi ser eu mesmo. Resolvi que não importavam as ameaças diárias dos meus chefes ou de quem quer que se achasse dono daquele estabelecimento: Eu iria pagar o preço para que houvesse uma comunicação fácil com o ouvinte sobre o que havia aprendido sobre Deus desde criança.
Vinte e poucos anos depois me peguei pensando:
Como avançamos na liberdade para comunicar.
A Tecnologia foi nosso D.Pedro I.
Hoje qualquer um com uma internet (que não seja tim) consegue ter uma rádio.
Qualquer um com o mínimo conhecimento consegue ter um blog.
Qualquer culto pode ser filmado por um celular e suas mensagens podem ser espalhadas pelo mundo inteiro em um clique.
.
.
.
Mas estava triste até sexta-feira.
Sentia falta de comunicadores com potencial de serem vistos e entendidos.
Nossos pregadores cada vez mais correm para o lugar comum.
Um hiato repetitivo de mecanicamente falar de uma forma que afasta os ouvintes e complica o entendimento.
Nossos jovens não ousam mais, não tem visões, apenas repetem o que fizeram há 50 anos ou no máximo criam coisas novas mas sem conteúdo.
.
.
.
Mas Deus encheu meu coração de esperança ao ouvir este final de semana o irmão Valdir Lucena.
Para quem não conhece ele é uma espécie de Forrest Gump enviado dos céus.
Suas histórias, seus causos, muitas vezes bíblicos, deixam seu coração aberto para entender as coisas mais simples que um texto bíblico quer dizer.
.
.
.
Ao mesmo tempo conheci a jornalista https://www.facebook.com/fabibertotti.
Num único vídeo ela me conquistou a esperar mais de um minuto no youtube.
Numa linguagem simples ela (estudiosa da bíblia) destrincha vários assuntos de forma que seus seguidores conseguem entender tudo maravilhosamente bem o que ela quer explicar do Reino.
.
.
.
Espero que com o passar do tempo novos e novos modelos de comunicação sejam utilizados para o Reino.
Que venham novos Claudios Duarte, Caios Fábios, Jon Nemers, Marcelas Tais.
Que o jeito que falemos nos livre das cópias ininteligíveis que o Diante do Trono, Toque no Altar, Apóstolos e afins tem espalhado por aí.
Que as histórias do Reino sejam cativantes como as que Jesus, aos 12 anos, já contava melhor do que ninguém.
Que o Reino seja explicado de forma simples e contextualizada como Ele fazia.
Que não criemos uma nova língua - o Crentês -,
que recebamos do alto a criatividade para comunicar as BOAS NOTÍCIAS.
Porque de notícias ruins o mundo já está cheio.

terça-feira, agosto 12, 2014

PELO NOME JÁ SABIA QUE ERA ARTISTA


Rubén Belloso cria artes ultrarrealistas usando giz


Rubén Belloso Adorna, de Seville, na Espanha, cria quadros gigantes feitos de giz, com um realismo impressionante. Suas obras são tão detalhadas que parecem até fotografias, mas tudo é criado com giz.
Dá para notar a magnitude dos quadros quando vemos fotos de Adorna trabalhando neles. E mesmo que olhemos de perto todos eles, ainda parecem fotos em alta definição.
O artista de 26 anos se formou em arte na Universidade de Seville, e já é reconhecido mundialmente por seu trabalho primoroso. Há exposições de Adorna na Espanha e em Portugal.
Confira as imagens abaixo:
92
64
44
14
Ruben-Belloso-Adorna-10
LaAuroradetail Control C: Pavablog via Catraca Livre
Related Posts with Thumbnails